domingo, 29 de março de 2020

Dela Marmy fala-nos sobre o novo EP, Captured Fantasy


Joana Sequeira Duarte tem desenvolvido o seu trabalho artístico no cruzamento interdisciplinar entre a música e performance. Entre 2011 e 2017 integrou a banda The Happy Mess (synths e voz) e participou na criação de dois álbuns – Songs From The Backyard e Half Fiction. Foi apenas em 2019 que se estreou em nome próprio com o projecto Dela Marmy, onde reúne as sonoridades característica do dream pop e indie rock, editando no mesmo ano um conjunto de singles que viriam a resultar no EP homónimo (KPRecords).

O segundo EP da artista, Captured Fantasy, foi editado no passado dia 27 de março nas diversas plataformas digitais pela KPRecords*KillPerfection, e conta com a produção de Charlie Francis. Neste novo trabalho Joana pretendeu alargar as colaborações artísticas, por desejar sentir-se desafiada e livre com a partilha de experiências e ideias. Convidou, então, a escritora e poetisa Raquel Serejo Martins para a letra de “Flying Fishes” – tema de abertura do EP – e o lyricist galês TYTUN para participação no introspectivo “Take Me Back Home”. 

A cada um dos cincos temas do EP pode ser atribuído um dos cinco sentidos. Captured Fantasy é, entre outras hipóteses, um disco sensorial, um disco que regista/captura momentos e sensações.

Flying Fishes AUDIÇÃO

O tema é dado por um teclado agudo psicadélico, as sensações auditivas estão apuradas, a imagética das palavras (da Raquel) é forte, os sons dos instrumentos são enérgicos e distintos entre as partes; é possível ouvir o som dos peixes a voar e dos pássaros a mergulhar, tudo em espiral, num mantra. Precisamos de natureza, de irrealidade, de amor, do outro.


Tempest VISÃO

Não é uma boa visão, ou paisagem, aquela que temos tido sobre o nossa planeta-casa. Assistimos a tempestades furiosas, fogos intensos, temperaturas térmicas fora do normal, derretimento dos glaciares, cidades de plástico nos oceanos, vírus mortíferos, guerras de poder, capitalismo predador, xenofobia e racismo, refugiados em barcos e contentores – mortos. É preciso recuar, se ainda houver tempo para o recuar.


Old Human TACTO

O tema de maior intimidade. A pele é absorvente e está exposta, nua e crua. A voz principal, a voz dos coros, o teclado trémulo em cada pulsação/batimento, as mãos que arrumam estrelas, que as transportam. Sente-se em toda a composição a fragilidade, antiguidade, densidade, leveza e textura. As texturas, o vazio que impacta a pele, o sol que impacta a pele. Tudo através da pele, a apreensão do mundo e de si mesmo através da pele, do tacto.


Not Real OLFACTO

Farejar a intuição, seguir o rasto e o cheiro da imaginação, pode levar-nos por qualquer lugar; precisam-se de vidas que não estas impostas, precisa-se da vida de cada um, que responda ao seu próprio tempo e às suas necessidades. Seguem-se as pistas, perfuram-se as brechas, quebram-se estereótipos e padrões sócio-políticos. É que, na realidade, a realidade não existe.


Take Me Back Home PALADAR

A contemplação do tempo em que se imagina regressar a casa; o conforto gerado por esse estado emotivo e, consequentemente, sentimentos: pertença, solidão, bravura, tristeza, ansiedade, conquista, amor. Saborear a memória, a ideia de casa, a nostalgia de quem está longe e a paisagem idílica do regresso.



Captured Fantasy está disponível no Bandcamp de Dela Marmy para audição integral e gratuita, podendo também ser adquirida a sua versão digital.

0 comentários:

Publicar um comentário