segunda-feira, 27 de abril de 2020

Birds Are Indie colecionam memórias em Migrations - The travel diaries #1

© Francisca Moreira
O trio de Coimbra Birds Are Indie reservou o ano de 2020 para revisitar os seus 10 anos de histórias e memórias. 10 anos é muito tempo, principalmente para uma banda que começou sem (se) dar conta. Foram acumulando diversas viagens, umas físicas e outras sonoras e com a dificuldade de estar muito tempo no mesmo lugar, foram migrando entre conforto e desprendimento, atravessando latitudes bem conhecidas e meridianos algo esquecidos.

O seu ninho foi construído em forma de bedroom pop, com a folk pelo meio, numa postura DIY minimalista, própria dos primeiros voos, tal como aconteceu com Belle and Sebastian, Yo La Tengo, Moldy Peaches ou Juan Wauters. Com o tempo, as asas da sua pop foram crescendo e aproximaram-se do rock que lhes foi ensinado por nomes como Lou Reed, Dean Wareham, Black Francis e Stephen Malkmus.

De modo a manter alguma normalidade e alegria no nosso quotidiano durante estes tempos de incerteza e confinamente, os Birds Are Indie juntaram-se à Lux Records para assinalar esta data tão respeitável, resultando dessa união o lançamento de Migrations - The travel diaries #1. Este foi o primeiro de dois volumes distintos, o #1 em CD (editado a 17 de Abril) e o #2 em vinyl (este a ser editado em 2021). Ambos os formatos contarão com a revisita de 5 canções da sua discografia anterior, reinterpretadas e regravadas. Mas como a música lhes parece surgir naturalmente, haverá também lugar para mais 10 faixas novas, estando 5 delas no CD e outras 5 no vinyl.


Com mistura e masterização de João Rui no estúdio conimbricense Blue House, todas as faixas tiveram a participação no baixo e algumas teclas do convidado especial Jorri (a Jigsaw), que também colaborou na gravação. Liderar esse processo, como habitualmente, ficou a cargo de um elemento da banda, Henrique Toscano, e o mesmo aconteceu com o artwork e o design, feitos pela mão da Joana Corker.

Em Migrations está muito presente a ideia de ida e regresso, seja porque o disco vagueia entre diferentes períodos na vida musical e pessoal de Ricardo Jerónimo, Joana Corker e Henrique Toscano, seja porque o mote para as letras que o compõem é a sua própria inquietude, ora desamparada, ora desafiante. No fundo, quem vive entre o aqui e o ali, prefere é estar além, como a mestria de Variações tão bem sintetizou.



“Instead of watching telly” é uma canção originalmente incluída, em 2012, no há muito esgotado álbum de estreia dos Birds Are Indie, How music fits our silence, e foi uma das escolhidas para ser regravada, com novos arranjos, fazendo agora parte de Migrations - The travel diaries.

Migrations - The travel diaries #1 está disponível na íntegra no Bandcamp da banda para audição gratuita.




Podem consultar em baixo as datas da tour dos Birds Are Indie que, se tudo correr pelo melhor, se irá realizar principalmente em setembro e outubro, entre Portugal e Espanha.

11 SET/ Festival Xiria Pop, Carballo
25 SET/ Teatro da Cerca de São Bernardo, Coimbra
7 OUT/ Costello, Madrid
8 OUT/ Asklepios, Valladolid
9 OUT/ Sala Creedence, Zaragoza
10 OUT/ Llimac Elèctric, Lleida
16 OUT/ Avenida, Aveiro
4 DEZ/ Casa da Música, Porto

0 comentários:

Publicar um comentário