quarta-feira, 1 de abril de 2020

STREAM: Morte Psíquica - Suite Nº Zero


Cerca de dois anos após a edição do aclamado EP Maneirismos (2018, Z22), a Morte Psíquica - projeto a solo do multi-instrumentista Sérgio Pereira - está de regresso ao radar  com Suite Nº Zero. O sucessor de Fados do Além (2016) chega num período que marca uma nova era na história do projeto. Depois de se ter mudado de Portugal para o Canadá, a distância geográfica impediu que a Morte Psíquica continuasse avante como banda completa, cingindo-se na atualidade ao projeto a solo de Sérgio Pereira, o mentor. Contudo, não deixou nunca de perder a essência nostálgica e decadente, além do conteúdo poderoso da lírica que faz acompanhar as composições sonoras. Talvez por isso possamos afirmar com certeza que Morte Psíquica é um dos melhores projetos portugueses na atualidade, a atuar dentro das estéticas do post-punk contemporâneo e das tonalidades mais góticas da música rock.

Suite Nº Zero foi anunciado em fevereiro juntamento com a edição do tema "Labirinto" - uma malha melancólica tecida entre as paisagens sonoras que tão bem marcaram o período da música gótica nos anos 80 e com uma letra assentada na poesia decadente e existencialista. Se, já com Maneirismos e em Fados do Além, era notório que a Morte Psíquica acima de um projeto musical é um projeto de poesia negra, neste Suite Nº Zero isso tornou-se claro logo com a edição de "Labirinto" onde escutamos: "Uma coisa que me põe triste é que não exista o que não existe" - e, torna-se cada vez mais evidente nas composições comprimidas neste novo trabalho. Por exemplo, em temas como "Fado da Vertigem" podemos ouvir: "Quando olho para mim // não me percebo // tenho tanto a mania de sentir // que me extravio às vezes // ao sair, das próprias sensações que eu recebo". No tema "Em Teu Sonho Acordado" - uma das melhores criações do disco - Sérgio apresenta um incrível trabalho vocal com uma poesia existencialista altamente conquistadora: "Ah, como gostaria de sorrir dos desejos que oculto, velhas uniformes vestes de palhaços esquecidos (...) Ah, como seria belo reviver o passado que relembro irado por o vento o ter levado (...) Ah, como dói a dor que não se sente, ofuscada pela anestesia da paixão (...) Ah, como gostaria que as almas dos sábios ardessem em munício na ignorância dos que do ódio se alimentam (...) Ah, como dói saber que a mentira prevalece e o ódio não se esquece." Já na música de despedida, "O Conforto do Desconforto", Sérgio Pereira arrasa com "Meu cérebro faz lembrar descomunal jazigo // nem a vala comum encerra tanto morto // o tédio, fruto infeliz da incuriosidade // alcança as proporções da imortalidade".

Caros ouvintes, encontramos a nova Florbela Espanca destes novos anos 20! 

Dos oito temas que integram o alinhamento incluem-se os já anteriormente apresentados "Olham e Sorriem", "Sensações Descontroladas" e "O Conforto do Desconforto", presentes no EP Maneirismos (Z22, 2018) e ainda "Fado da Vertigem", tema presente na coleção Z vinte e dois compilation que, em Suite Nº Zero, se apresentam regravados e remasterizados. Aproveitem para explorar este novo trabalho da Morte Psíquica, com toda a atenção que ele merece, abaixo.

Suite Nº Zero é editado esta quarta-feira (1 de abril) em formato CD e digital pelo selo Zodiaque Musique. Podem comprar a vossa cópia física aqui.


0 comentários:

Publicar um comentário