quarta-feira, 1 de abril de 2020

Troublemaker Records: o colectivo que luta pela igualdade


Pessoal de Lisboa já ouviu com toda a certeza falar da Troublemaker Records, editora/coletivo fundada em 2018 na capital  e que já levou os seus artistas a salas como a Galeria Zé dos Bois, Musicbox, Titanic Sur Mer, Crew Hassan, ADAO - Associação Desenvolvimento Artes e Oficios (Barreiro), sendo também responsável por alguns sets na conceituada Rádio Quântica.

Com o intuito de ser um porto seguro para artistas únicos e genuínos que nem sempre tiveram oportunidade de expor o seu own self, seja pela sua orientação sexual ou pelo tom de pele, a Troublemaker Records pretende criar um movimento contemporâneo capaz de redefinir a visão que temos atualmente do R&B, soul e da eletrónica mais intimista, utilizando a sua arte para expressar as próprias experiencias e visões sobre a vida. E quer também poder chegar a outras partes do país que não sejam só Lisboa.

A Troublemaker Records é a casa de artistas como Killian, Ness, Herlander, Odete Phoebe, tendo editado alguns trabalhos de estúdios nos últimos dois anos, onde a produção é sempre de fino detalhe e recorte.


Herlander

A primeira edição da label lisboeta foi da responsabilidade de Herlander, a 30 de setembro de 2018, com o EP de estreia 199. Este trabalho é a carta de amor de Herlander dirigida a casa, uma homenagem ao local onde cresceu, contando-nos a sua história, os problemas que um jovem enfrenta ao crescer entre os 18 a 20 anos: os estudos, o primeiro emprego, decidir qual é o próximo passo. É nesta viagem que o artista encontra o amor e molda a sua vida em torno dele, ignora todas as decisões pendentes e vive uma história de amor turbulenta e doentia, porém bela e nostálgica. "Monochromatic Game Boy" foi o single de apresentação deste EP que funciona à base de colagem sonora de samples, um pouco ao estilo dos The Avalanches, mas aqui numa faceta mais pop. Ao que parece, Herlander está a preparar o lançamento de um novo EP este ano ainda, resta-nos aguardar pacientemente.




Odete

Odete é uma artista multidisciplinar que divide a sua atividade por várias editoras, tendo lançado em junho de 2019 o seu trabalho mais reconhecido até agora numa edição colaborativa da Troublemaker e Rotten \ Fresh, outra label lisboeta de génese DIYAmarração é o disco de que se fala em cima, o seu primeiro longa duração, "um disco visceral que tem tanto de alienígena quanto de pessoal e revelador", que veio suceder o EP Matrafona editado em 2018 pela Naivety e que assume um contexto marcadamente autobiográfico, uma junção de influências sonoras que percorre a história da música queerOdete quer com a sua música eletrónica desconstruída e toda a sua arte performativa lutar contra o sexismo, a transfobia e o patriarcado, conquistando um papel de destaque na cena club nacional e internacional. No passado dia 27 de março, a artista juntou à sua coleção discográfica um novo EP, Water Bender, editado com o selo da londrina New Scenery.




Ness

NESS é o alter ego de Vanessa Costa, projeto que nasceu nas ruas de Sintra e nos contou a sua perspectiva sobre o que é viver num mundo onde desde pequena teve que aprender a definição de auto-descoberta, independência, perdão e discriminação racial. O seu primeiro single, "Karma", chegou aos nossos ouvidos em 2018, repleto de influências R&B, soul e eletrónica, afirmando a sua inquietação lírica e graciosidade pela melodia, e abriu caminho para MESS, EP de estreia editado em setembro de 2019. Produzido por PHOEBE, MESS é composto por cinco temas, onde se inclui o single "Karma", dotados de texturas sintéticas e melancólicas, interligados por uma confusão de emoções fundidas em letras mascaradas sobre o passado de NESS. Mais recentemente, a 22 de feveiro deste ano, NESS mostrou mais uma nova faixa "how much i cared will never reach it's peak".




PHOEBE

PHOEBE é o projeto de Bruno Gonçalves, mentor deste coletivo que aqui retratamos e reúne artistas talentosos e multifacetados. Produtor que também participa nos trabalhos de NESS e Killian, PHOEBE apresenta aqui a sua face, a sua maneira de sentir o mundo. AFFECTION é o álbum de estreia e chegou-nos às mãos numa altura em que estava tudo a olhar para as listas dos melhores discos de 2019, isto é, 18 de dezembro. É um álbum sobre os primeiros amores, amores imaturos, intensos mas inseguros, em que se questiona se o sentimento é reciproco. Em AFFECTION as texturas são suaves e oníricas, as vozes envolvem-se em reverb, transformando este no projeto mais sonhador da Troublemaker. "Reciprocity" foi o tema escolhido para dar a conhecer PHOEBE ao mundo e fala sobre solidão e falta de reciprocidade.




Killian

Diogo Sanches é quem dá a voz ternurenta e delicada a Killian. Em 2017 esteve presente no Festival Termómetro, mas foi em 2018 que o falatório se intensificou com várias atuações na capital. O EP de estreia, Flawed Ego, prometido para 2019, chegou finalmente às lojas digitais a 24 de março, e retrata a personalidade de Killian, artista que tem uma paixão pela psicologia e procura compreender o ser humano e as suas razões de ser. Em Flawed Ego, Killian reune os singles que foi lançando nos últimos anos, aos quais se juntaram dois novos temas, e analisa metodicamente os seus sentimentos, emoções e motivações, sonorizadas por texturas próximas do R&B de cariz confessional mas também dançável. Killian contou com a colaboração de Bruno Gonçalves (PHOEBE) na produção exímia deste seu registo de estreia.




Todas as edições dos artistas da Troublemaker Records podem ser aqui escutadas e adquiridas. Para ficarem a saber mais sobre eventos e novas edições, basta seguirem a página de Facebook da editora.

0 comentários:

Publicar um comentário