domingo, 21 de junho de 2020

Jardim da Gulbenkian recebe música, instalações e performance em julho

O português João Pais Filipe junta-se ao alemão Burnt Friedman para um concerto no no Anfiteatro ao Ar Livre

A convite da Fundação Calouste Gulbenkian, a Galeria Zé dos Bois apresenta uma programação transdisciplinar para a edição de 2020 do Jardim de Verão, programa fora de portas da fundação. Pensado para “salvaguardar um espaço inclusivo", o programa parte das qualidades do jardim para explorar vários caminhos que passam pela instalação, pela performance e pela música.  

Ao longo dos três primeiros fins-de-semana de julho, o Jardim Gulbenkian transforma-se num Jardim Concreto através de três instalações –Hortus, de Patrícia Portela e Christoph De Boeck, ESTADO EROSÃO, do coletivo Berru e À Margem, de Paulo Morais.

Aos domingos de manhã, o Jardim recebe o workshop de serigrafia de máscaras da Oficina Arara. Nas tardes de sábado e domingo, a ZDB propõe duas performances de Gustavo Sumpta e uma de Tiago Barbosa, todas no palco do Grande Auditório.

As noites de sexta a domingo estão reservadas para uma programação eclética de concertos no Anfiteatro ao Ar Livre, com propostas que vão da canção à música improvisada e exploratória, passando pelo jazz, o funaná e a música erudita. 





O baterista e percussionista português João Pais Filipe junta-se ao músico e produtor alemão Burnt Friedman para um concerto no dia 4 de julho. O primeiro é o motor pulsante dos Paisiel e HHY & The Macumbas, tendo colaborado também com nomes tão icónicos da experimentação contemporânea como o malogrado Z’EV e o nosso Rafael Toral. Burnt Friedman é senhor de uma discografia vasta e que não passa despercebida aos mais atentos das ondulações eletrónicas, assinando trabalhos em grupos como Drome, Flanger ou Nine Horses, que junta o alemão aos ingleses Steve Jansen e David Sylvian, dos icónicos Japan. O programa desta noite conta ainda com um concerto do guitarrista português Norberto Lobo, auotr de primordiais obras de música primitiva a solo e membro do trio jazz-pop Montanhas Azuis.

Peter Evans, aclamado trompetistas das últimas duas décadas, é mais um dos destaques do programa de música do Jardim de Verão 2020. Após quatro edições da residência “Som Crescente” no espaço da Galeria Zé dos Bois, o músico americanofaz uma espécie de súmula do trabalho que aí desenvolveu, convidando João Carlos Pinto, João Costa e de Almeida, João Gato, João Valinho, José Almeida e Samuel Gapp para esta apresentação. Depois, o trompetista junta-se a João Barradas e Damien Cabaud para uma colaboração inédita.


O programa inclui ainda concertos de B Fachada, Calhau!, Julinho da Concertina, Luís Severo, Marco Franco com Joana Gama e Tiago Sousa, Maria Reis, Orquestra Gulbenkian, e Selma Uamusse, a performance ANIMAL ANIMAL, com direcção de Tiago Barbosa e o concerto Ruin Marble, de Alexandre Estrela, Gabriel Ferrandini e Pedro Tavares.


Programa

SÁBADOS E DOMINGOS, DE 4 A 19 DE JULHO, 10:00–20:00 
Jardim Concreto, com as instalações Hortus, de Patrícia Portela e Christoph De Boeck, ESTADO EROSÃO, do coletivo Berru e À Margem, de Paulo Morais.  

SEXTA, 3 DE JULHO 
21:00 Concerto de Maria Reis 
Concerto Ruin Marble, de Alexandre Estrela, Gabriel Ferrandini e Pedro Tavares  

SÁBADO, 4 DE JULHO 
21:00 Concerto de Norberto Lobo 
Concerto de João Pais Filipe e Burnt Friedman  

DOMINGO, 5 DE JULHO 
10:00 O Diabo da serigrafia, workshop de serigrafia pela Oficina Arara 
21:00 Orquestra Gulbenkian, dirigida por Joana Carneiro  

SEXTA, 10 DE JULHO 
21:00 Orquestra Gulbenkian, dirigida por Nuno Coelho  

SÁBADO, 11 DE JULHO 
17:30 Primeira lição de voo. Pobre não tem metafísica, performance de Gustavo Sumpta O melhor mundo possível, performance de Gustavo Sumpta 
19:00 ANIMAL ANIMAL, performance de Tiago Barbosa e Cláudio da Silva 
21:00 Concerto de B Fachada 
Concerto de Julinho da Concertina  

DOMINGO, 12 DE JULHO 
10:00 O Diabo da serigrafia, workshop de serigrafia pela Oficina Arara 
17:30 Primeira lição de voo. Pobre não tem metafísica, performance de Gustavo Sumpta
O melhor mundo possível, performance de Gustavo Sumpta 
19:00 ANIMAL ANIMAL, performance de Tiago Barbosa e Cláudio da Silva 
21:00 Concerto Som Crescente, de Peter Evans 
Concerto de Peter Evans, João Barradas e Demian Cabaud  

SEXTA, 17 DE JULHO 
21:00 Concerto de Marco Franco, com Joana Gama e Tiago Sousa 
Concerto de CALHAU!

SÁBADO, 18 DE JULHO 
17:30 Primeira lição de voo. Pobre não tem metafísica, performance de Gustavo Sumpta 
O melhor mundo possível, performance de Gustavo Sumpta 
19:00 ANIMAL ANIMAL, performance de Tiago Barbosa e Cláudio da Silva 
21:00 Concerto Luís Severo 
Concerto de Selma Uamusse  

DOMINGO, 19 DE JULHO 
10:00 O Diabo da serigrafia, workshop de serigrafia pela Oficina Arara 
17:30 Primeira lição de voo. Pobre não tem metafísica, performance de Gustavo Sumpta O melhor mundo possível, performance de Gustavo Sumpta 
19:00 ANIMAL ANIMAL, performance de Tiago Barbosa e Cláudio da Silva
 21:00 Concerto do grupo de metais da Orquestra Gulbenkian



0 comentários:

Publicar um comentário