sábado, 20 de junho de 2020

Swiss Dark Nights reedita disco de estreia dos Hammershøi


Os Hammershøi são uma dupla francesa que nasceu da comunicação homem-máquina para responder às questões existenciais frívolas do momento, proporcionando uma onda eletrónica de som que conjura ondas frias, mecânicas mas altamente animadas. O grupo, constituído por Anne Dig e Ben Montes estreou-se este ano nos discos longa-duração com o homónimo Hammershøi, trabalho que aos primeiros instantes consegue cativar a atenção do ouvinte e, ainda, proporcionar uma vontade descomunal de movimentar o corpo nas intermitências do som.

Clicar no play de Hammershøi é garantir uma inauguração oficial da pista de dança com estruturas sonoras a serem circundadas por um poder iminente, num cenário sonoro ótimo para encerrar uma daquelas noites underground. Não alheia a tal facto, a editora suíça Swiss Dark Nights considerou pertinente integrá-los no seu catálogo para projetar o seu som entre os melómanos mais curiosos no panorama da música noir. A verdade é que arriscou e bem e o resultado é um som que se automatiza aos primeiros segundos, mostrando-se fortemente consolidado e altamente aditivo. Se os Crystal Castles na altura de Alice Glass fossem muito góticos e tivessem um filho com Petra Flurr iriam soar mais ou menos como as músicas que compões este Hammershøi.

Desde o tema de abertura "Asphyxie" - a apostar em força nas paisagens da synth-pop iluminada pelas tendências da techno-noir, passando pelo itinerário "26 avril 2019" e as ondas industriais de "Cathédrales" ou "Bir Hakeim" os Hammershøi apresentam-nos oito temas obscuros com uma estética de entretenimento a vigorar em força e uma qualidade de som bastante apelativa.

Hammershøi foi editado oficialmente a 15 de abril de 2020 em formato digital. A versão física em CD está prevista para 18 de julho pelo selo Swiss Dark Nights. Podem fazer a pre-order do disco aqui.


0 comentários:

Publicar um comentário