sexta-feira, 3 de julho de 2020

Crush of Souls estreia-se num art-rock decandente e experimental


Charles Rowell (Crocodiles, Flowers of Evil, Issue...) mudou-se de Nova Iorque para Paris para absorver as tendências estéticas em voga pelo underground europeu. Enquanto forjou docemente o seu primeiro trabalho de estúdio sob o pseudónimo Crush of Souls, aproveitou também para aplicar novas fórmulas que, em projetos paralelos, outrora seriam imprevisíveis. A cidade forneceu o cenário e a vivacidade da cena dark underground, o que estimulou a criatividade de Charles Rowell ao ponto de criação de um disco altamente diverso entre os mundos do art-rock, darkwave, post-punk, e/ou noise. No ponto de destaque, a imensidão garantida pelo saxofone, que chama logo a atenção nos minutos finais de "Pain & Ecstasy", o primeiro tema de avanço da obra.

Num disco coeso que reflete bem o título que lhe dá nome Crush of Souls começa por chamar a atenção com um dos temas mais "orelhudos" do disco. Numa vibe que traz à memória o estilo único dos lendários Alien Sex Fiend"Pain & Ecstasy" é um retrato da decadência e estética experimental que vigoram em força no novo trabalho. Num tema instantaneamente imersivo, de guitarras arrojadas e sintetizadores propulsivos, Crush of Souls começa por convidar o ouvinte à pista de dança num ambiente afável, enquanto o prepara para um show abusivo de castração fortemente presente nos minutos que culminam o tema (e que à memória nos trazem os vanguardistas polacos Niechęć). Enquanto o EP não chega é ir ouvindo "Pain & Ecstasy" em loop abaixo.


Bad Trip tem data de lançamento prevista para 31 de julho em formato cassete e digital pelo selo Third Coming Records. Podem fazer a pre-order do disco aqui.

Bad Trip Tracklist:

01. Time Worm 
02. Kick 
03. Pain & Ecstasy 
04. Dog Bitten Cross 
05. Bad Trip 
06 Confusion

0 comentários:

Publicar um comentário