quinta-feira, 9 de julho de 2020

Dent May precisa de um milagre. Quem não?


De Los Angeles chega-nos o mais recente trabalho de Dent May, multi-instrumentista que se atira à pop mais solarenga e animada. Já com dez anos de carreira nas costas, Dent prepara-se para editar Late Checkout, quinto longa-duração, o seu mais complexo até à data. A produção caseira a que nos habitou nos discos anteriores deu lugar aos arranjos de cordas, às secções de sopros e uma estética glamourosa, evocando a composição clássica de nomes como Harry Nilsson, Carole King e Randy Newman.

O artista nascido no Mississippi e que se descreve como cantor lounge de bar de hotel e aspirante a apresentador de talk show diurnos, editou o seu álbum de estreia em 2009, The Good Feeling Music of Dent May & His Magnificent Ukulele, com o selo da label dos Animal Collective, Paw Tracks. Seguiram-se três aclamados discos, Do Things (2012), Warm Blanket (2013), Across the Multiverse (2017), assim como uma centena de concertos entre Chicago e Shangai.

Late Checkout chegou numa altura em que Dent finalmente conseguiu abrandar um pouco, depois de se mudar para Los Angeles em 2015, apresentar Across the Multiverse numa tour que revolveu o mundo e construir o seu próprio estúdio, Honeymoon Suite Recording Studio, com os amigos Pat Jones e Michael Rose. Esse descanso permitiu-lhe levar o processo criativo sem pressas, gravando no iPhone qualquer ideia de letra ou melodias subconscientes que lhe surgissem. Como todo este tempo no bolso, Dent começou “a saborear as minúcias da sua vida quotidiana passeando por Los Angeles, não sendo convidado a sair com os amigos e a acordar em quartos de hotel depois de ser DJ em casamentos”. São esses os momentos mundanos que Dent May retrata em Late Checkout, gravado no seu estúdio novo, reproduzindo o tom agridoce e a ética de trabalho consistente da Motown.



O primeiro avanço deste novo disco é da responsabilidade do single “I Could Use A Miracle,” escrito a meias com Jimmy Whispers, em que May canta sobre o desespero de se sentir deprimido, sob um fundo musical bem otimista e exuberante. Late Checkout chega às prateleiras a 21 de Agosto com o selo da Carpark Records. A capa e a fotografia é da autoria de Harry Israelson e está disponível em baixo, assim como a tracklist.


Late Checkout:
1- Hotel Stationery
2- I Could Use A Miracle
3- Didn’t Get The Invite
4- Sea Salt & Caramel
5- Bungalow Heaven
6- Bless Your Heart
7- Full Speed Ahead
8- Easier Said Than Done
9- L.A River
10- Imagination
11- Pour Another Round
12- Late Checkout

0 comentários:

Publicar um comentário