sábado, 17 de outubro de 2020

Tropa Macaca submergem sentidos no oceano em nova composição, Colónia



Os Tropa Macaca, de André Abel e Joana da Conceição, estão de volta com novo trabalho. Colónia é uma composição encomendada para a edição "9.5" do Festival Walk&Talk, que decorreu no passado mês de julho na Ilha de São Miguel, nos Açores, onde a dupla apresentou a instalação "Entre um organismo e um sistema: uma colónia". 

Incessantes na procura por uma arte livre e sem forma, a dupla natural de Santo Tirso optou por submergir os seus sentidos "no oceano que rodeia as fascinantes ilhas dos Açores", explicam nas notas oficiais de lançamento, criando um ecossistema complexo que sustenta todos os “divididos” que integraram esta edição do Walk&Talk. Ainda sobre Colónia, os Tropa Macaca acrescentam:

"O oceano apresenta-se como um terreno inspirador para nos libertarmos dos constrangimentos formais e inteletuais que o antropocentrismo coloca à imaginação. Os sifonóforos que são animais-colónia questionam a nossa compreensão do que é um indivíduo, a endossimbiose entre os corais e as zooxantelas, a própria plasticidade dos corais, em que indivíduos da mesma espécie podem ter formas muito diferentes entre si dependendo das condições do seu ambiente, ou ainda o parasitismo sexual (não é um bom nome, falta-lhe imaginação) como um peixe-diabo macho, que chega a ser 10 vezes mais pequeno que a fêmea, depois de a morder na barriga afim de procriarem, passa a partilhar com esta o mesmo sistema circulatório. A leveza transparente e beleza contorcionista das medusas, que se transformam numa amorfa matéria transparente quando fora de água, ou a qualidade mágica que é a bioluminescência. À medida que os dias vão avançando e o sistema se vai complexificando, novos seres ou paisagens vão aparecendo, e algumas são tão avassaladoras que captam a nossa atenção por inteiro, por vezes os organismos são extremamente pequenos e temos que nos aproximar para perceber da sua dimensão, outros são gigantes, e no último dia temos um panorâmica do ecossistema que fomos construindo, a colónia."

Colónia é o primeiro lançamento da dupla desde Guia Interior, de 2019, que por sua vez se sucedeu ao muito aclamado álbum Caçador do Futuro, lançado em 2018 pela polaca DUNNO.

Ativos desde 2005, a discografia de André Abel e Joana da Conceição tem sido publicada em vários selos de referência como a Qbico, a Siltbreeze, a The Trilogy Tapes ou a Software, do americano Daniel Lopatin (Oneohtrix Point Never). Para além do vasto trabalho produzido em estúdio, a dupla conta ainda vários registos gravados ao vivo como Praga de Urubu Só Pega em Cavalo Magro, a partir de um concerto no Lux Frágil em 2012, ou Caçador do Futuro, registado ao vivo na edição de 2016 dos Jardins Efémeros, em Viseu. Realizaram duas tours europeias – onde se aprentaram em salas tão emblemáticas como o Café OTO, em Londres, e o Roter Salon do Teatro Volksbühne, em Berlim – e atuaram em várias cidades do Brasil como Rio de Janeiro – onde gravaram parte do disco Ectoplasma”–, São Paulo e Cabo Frio. 

Com gravação e mistura de Leonardo Bindilatti, Colónia encontra-se disponível para escuta e download gratuito no Bandcamp dos Tropa Macaca.



0 comentários:

Publicar um comentário