quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Kerygma, de Verset Zero, leva-nos ao purgatório

Kerygma, de Verset Zero, leva-nos ao purgatório


Depois de edições em casas como a Clandestine Records, Subsist Records ou Intervision (para mencionar algumas), Verset Zero juntou-se ao catálogo da Instruments Of Discipline para colocar cá fora Kerygma, - um álbum concetual que facilmente pode ser tomado como um símbolo de caos distante, dogmas religiosos e violência pura. Puramente negro na essência, Kerygma é mais um álbum na chancela Verset Zero que nos prosta perante o âmago existencialista com uma produção de nível exemplar. Afastando-se dos métodos tradicionais em direção a um universo influenciado por diferentes correntes estéticas da música negra, Verset Zero apresenta em Kerygma o seu disco mais pessoal até à data, no que considera ser "a chave entre o seu passado e seu futuro".

O novo trabalho, que vem dar sucessão a Ultimum Offerens ‎(2018, Clan Destine Records) é composto por nove faixas densas que proporcionam um experiência sonora a refletir em suma o efeito destrutivo da pandemia, num caminho ritualístico ao purgatório. Desde a introdução psicologicamente densa presente em "Erraverunt" à mescla abrasiva de ruído amplificada em "Cineres", camuflam-nos os ouvidos temas como o emergente "Saul", com uma eletrónica bruta e cheia de personalidade, o maquinal "Armorum Fāber", o hipnotizante "Ultimus Processionis" e ainda o confessionário "Crucifixio". Num disco instrumentalmente rico, em Kerygma Verset Zero oferece-nos uma viagem imersiva que divaga entre a estética da música doom com tragos post-industrial, o techno embruxado pela música noise, e ainda, uma paragem naquilo que se pode interpretar como uma abordagem pagã de características post-metal.

Kerygma foi editado na passada terça-feira (24 de novembro) em formato CD, vinil e digital. Podem comprar a vossa cópia aqui.



0 comentários:

Publicar um comentário