sábado, 29 de agosto de 2020

Totem tem novo tema na playlist, "K o n t i n u u m"


O projeto dinamarquês liderado por Christoffer Bagge, Totem (fka Totvm) está de regresso ao radar com novo tema. "K o n t i n u u m" é a primeira amostra daquele que virá a ser o sucessor de Passage (2019) e destaca-se por integrar elementos da witch house volta às texturas eletrónicas e sombrias que têm pautado a ainda curta discografia do projeto. Numa abordagem mais radical, densa e cantada em dinamarquês, Christoffer Bagge injeta uma dose de novidade, com arranjos de tendência orquestral e composição dramática onde as ideias do romantismo - anteriormente colocadas em ação - voltam a permanecer aqui, embora numa vertente menos denotada.

"K o n t i n u u m" chegou às prateleiras no início deste mês e conta ainda com a participação da artista dinamarquesa Mouth Wound nos vocais de apoio. O tema foi lançado juntamente com um trabalho audiovisual filmado entre Moscovo e Copenhaga e editado por Christoffer Bagge durante o período de confinamento. O resultado pode ser assistido na íntegra abaixo.

Relembramos que Passage foi editado em novembro pelo selo alemão Young And Cold Records. Podem escutar o disco na íntegra e/ou comprar a vossa cópia aqui.



+

Faunlet traz um itenerário darkwave em PSYFI


Estava agendado para 2019 mas os contratempos levaram ao adiamento de PSYFI, o novo disco do produtor romeno Faunlet. Afastado dos ritmos e sonoridades que pautaram o início do projeto, Faunlet abraça agora as estéticas darkwave e coldwave numa produção altamente aditiva e com cunho saudosista. PSYFI é o primeiro trabalho do artista em seis anos e vem dar seguimento à aura rock noir abordada em Fauna of the heart Flora from beyond (2014) desta feita através de uma desaceleração de ritmos. Faunlet foca agora o seu trabalho numa poesia sonora que é nostálgica, profunda e igualmente celestial, pese embora as vertentes negras que revestem toda a produção.

A abrir com o tema homónimo "PSYFI", rapidamente somos projetados para um ambiente eletrónico onde as artimanhas da música techno vigoram em força. O artista coloca em loop a sua contida parafernália musical enquanto lhe injeta, pontualmente, acordes de uma guitarra enublada. Em formato contemplativo segue no alinhamento com "Anatomy" - o primeiro tema extraído de PSYFI - que chegou à ribalta em março do ano passado e se veste em ritmos hipnóticos e lamentações antagónicas. Depois de uma pausa vincada no desolador "My lover the Monitaur", segue-se no alinhamento "Lavar", uma das grandes surpresas do disco. Contido na energia "Lavar" envolve-se de uma percussão lenta, mas absolutamente intensa e marcante no desenvolvimento. No adeus, entre as frívolas camadas de distorção encontramos "Rose Water", uma carente faixa de eletrónica obscura para mergulhar em pleno.

PSYFI foi editado oficialmente em formato digital a 23 de julho em formato self-released. Podem absorver o disco na íntegra abaixo.


+

Odete, Lula Pena e Tristany no regresso do Teatro São Luiz



Entre 29 de Setembro e 2 de Outubro de 2020, o São Luiz Teatro Municipal acolhe um ciclo de “performances, música e as suas intersecções com as artes visuais" com curadoria da Galeria Zé dos Bois. A programação antecipa o 26º aniversário do espaço de intervenção cultural lisboeta, que este ano desenhou a programação de Verão para a Gulbenkian, e arranca a 29 de setembro na Sala Mário Viegas, pelas 18h, com a performance Peça do Coração: EXCALIBUR, de Mariana Tengner Barros.

Na Sala Luís Miguel Cintra, a 30 de setembro, há sessão dupla com os concertos de Lula Pena e João Simões e do saxofonista Pedro Sousa, que apresentará o mais recente álbum Calor Caluda. No dia seguinte, a 1 de outubro, Primeira Dama apresenta Superstar Desilusão numa noite que inclui ainda a atuação do cantor-compositor Alek Rain. A última sessão, guardada para o dia 2 de outubro, junta a produtora Odete à cineasta Alice dos Reis para Uma Perspectiva Sobre o Portal X84.02, peça em estreia que “combina som, texto, canto e instalação na projecção de uma narrativa comum a partir de dois exoplanetas paralelo”. No mesmo dia, Tristany apresenta-se nesta mesma sala para um dos concertos mais aguardados do ciclo: o artista de Mem Martins apresentará ao vivo MEIA RIBA KALXA, um dos mais admiráveis álbuns da colheita nacional de 2020.

Encontrem a programação completa no sítio oficial da ZDB.


+

Fomos até à Índia ouvir este punk experimental


Caixas de ritmos em decadência contida, sintetizadores fora de mão e acordes com sintomas lo-fi, numa amálgama sonora que não aquece nem arrefece, mas claramente serve bem para acompanhar uma dessas tardes de sunset ou um dia psicologicamente intenso. Em suma é assim que se pode descrever Trouble In Paradise, o primeiro esforço longa-duração do artista indiano Ali Jef. Para o artista este jogo de problemas no paraíso faz vigorar uma forte exploração do caos entre as linhas harmónicas que vão sendo adicionadas com vigor em cada novo tema. As melodias pop entram e saem de batidas e ritmos frenéticos, gritos de socorro, mantras de cura e cascatas instrumentais verdadeiramente expansivas. 

Faixas "Forward Slowly" ou "Bubblemint" - com um trago futurista - "Red Alert" - com toques do proto-punk - ou "Heath Kick ii", cospem mantras sobre uma mistura eclética de instrumentação punk jazz em dissonância mas com um tom harmónico bastante interessante. Por sua vez, em faixas como "The Order" ou "Last Chance" predomina uma espécie de paisagem da música ambient, a trazer a idílica natureza ao ponto de imaginação do ouvinte. "Eat Veggies" incorpora a tendência post-punk na qual o álbum foi construído e apresenta-se talvez como uma das faixas mais interessantes do disco ao incorporar a génese do género no posto de escuta. Para finalizar Ali Jef apresenta a faixa bónus "Tomorrow" uma narrativa aberta que promete fazer continuar esta jornada do reino físico de questionamento de Ali Jef.

Em Trouble In Paradise - disco editado oficialmente a 8 de julho em formato self-released, Ali Jef capturou um momento de destruição que nos conduz a um lugar vasto, mas envolto em potencial. A explorar na íntegra abaixo.


+

João Pais Filipe e Angélica Salvi nos Concertos de Bolso da Feira do Livro do Porto



Entre 28 de Agosto e 12 de Setembro, a Feira do Livro do Porto recebe um total de 24 concertos promovidos pelo Maus Hábitos. Com o objetivo de " traçar um retrato do panorama da cena musical da cidade", o ciclo Concertos de Bolso propõe um cruzamento intergeracional de géneros e abordagens à música,  desde o fado à música pop, rock, hip-hop e eletrónicas abstratas.

João Pais Filipe, Angélica Salvi, Osso Vaidoso, Conferência Inferno, Coelho Radioactivo e White Haus são alguns dos muitos nomes que passarão pelo Terreiro da Casa do Roseiral, nos Jardins do Palácio de CristalA entrada para os concertos é gratuita e limitada à lotação total de 120 pessoas, sujeita a levantamento de bilhete 1h30 antes do início da atividade (limitada a dois bilhetes por pessoa).

A música não se fica por aqui já que a Associação Porta-Jazz levará a cabo um ciclo de concertos "ao relento", com atuações de MAU, João Grilo, A Incerteza do Trio Certo, Hugo Raro e Nuno Campos. Os pianistas Mário Laginha e Pedro Burmester juntam-se em palco para um concerto a quatro mãos no encerramento da 7ª edição da Feira do Livro, dia 13 de setembro.

A programação completa pode ser encontrada aqui.


+

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

David Bruno e 10 000 Russos marcam presença nesta edição do ZigurFest

Foto: David Madeira

Depois de um arranque inédito, que viu a estreia das oficinas familiares e as exposições da ZONA - Residências Artísticas de Lamego tomarem conta da cidade, a música regressa em força a Lamego e ao ZigurFest a partir de 19 de setembro.

Para este segundo momento do festival, regressam à cidade o trio 10 000 Russos - de formação renovada e com novo disco na calha - e David Bruno, que vem apresentar Raia Shopping à terra que viu nascer o seu único disco ao vivo.

Paralelamente, irá decorrer a inauguração das instalações "Som e Espaço". Com curadoria de Manuel Guimarães, este conjunto de instalações sonoras assinadas por vários artistas de norte a sul de Portugal, pretendem funcionar como interpretações audíveis dos espaços históricos onde se encontram expostas.

Nos próximos dias, serão reveladas as restantes datas e programa do ZigurFest, que este ano se estende excepcionalmente até Dezembro.



+

Rafael Toral apresenta concerto inédito na Casa das Artes Bissaya Barreto


O jardim da Casa das Artes Bissaya Barreto vai receber amanhã, 29 de agosto, às 18h, o concerto de Rafael Toral, num sistema de som quadrifónico preparado especialmente para criar uma experiência auditiva imersiva e contemplativa.

Rafael Toral interessa-se pelo potencial do som e funções da música e enquanto produtor, compositor e intérprete esteve envolvido, em diferentes períodos da vida, com a música rock, ambiente, contemporânea, eletrónica e free jazz. O músico tem feito digressões por várias partes do mundo, com atuações a solo ou em várias colaborações, onde se incluem nomes como Jim O’Rourke, Sei Miguel, Evan Parker, Sonic Youth, Eiko Ishibashi, entre outros.

O concerto inédito no 30º aniversário de algumas peças que integram Sound Mind Sound Body, disco de estreia de Rafael Toral publicado em 1994 - resultado de um processo de composição, gravação e regravação que se iniciou em 1987 - vai incluir momentos raros, como a estreia absoluta da versão modificada de "AE 2". 

A entrada tem o custo de 6€. A lotação do espaço varia entre 27 a 108 pessoas e os bilhetes podem ser adquiridos através da ticktetline. 

+

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

Lefki Symphonia de regresso com novo tema, "Black Twilight"


Cerca de cinco meses após a edição de San ton ilio / Like the Sun os gregos Lefki Symphonia estão de regresso ao radar com novo tema. Intitulado "Black Twilight" a canção pode descrever-se, em poucas palavras, como um hino de rock gótico de tendências modernas pronto para fazer fervilhar as pistas de dança homemade, mundo fora. Tradicionais na composição é nos arranjos e produção que os Lefki Symphonia se destacam a fazer reviver as ondas escuras experienciadas em altas nos anos 80. "Black Twilight" é mais um tema liderado pelas guitarras nostálgicas, as batidas monocromáticas e uma voz líder, sempre presente.

Foram precisos cerca de 20 anos para podermos absorver o aguardado regresso de uma das lendas do dark rock oriundo da Grécia. O grupo que se formou em 1984, acabaria por rumar num período de hiatus indeterminado em 2000, quatro anos depois de terem colocado cá para fora o seu quarto disco de estúdio, Χρώματα ΙV​/​Colours IV.  San ton ilio / Like the Sun veio quebrar o silêncio num regresso que se espera produtivo. A prova encontra-se no inesperado lançamento de "Black Twilight" mais uma malha old-school de rock deprimido pronta para curar a depressão. Juntamente com o lançamento do single, em formato digital, a banda liderada por Theodoros Dimitriou avança também com um novo vídeo da autoria de Lukas Stumpf, onde, além dos cuts tradicionais da banda em performance sobressai o momento em que uma mulher se banha numa loção escura enquanto ouve música. O resultado final pode observar-se na íntegra abaixo.

San ton ilio /Like the Sun tem data de lançamento prevista pra 27 de março em formato CD e LP pelos selos Labyrinth of Toughts e The Lab Records. Podem ouvir o disco na íntegra aqui.


+