segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Duas décadas depois, os Insides estão de volta e mais unidos que nunca


Quase três décadas depois de Euphoria e mais de vinte anos após o seu último lançamento, os britânicos Insides estão de volta com Soft Bonds, quarto longa-duração de carreira editado esta sexta-feira pela inglesa Further Distractions.

Anteriormente conhecidos como Earwig, entre 1989 e 1993, os Insides são fruto de uma preciosa relação entre Kirsty Yates, baixista e vocalista, e o guitarrista Julian Serge Tardo, que também desempenha funções nas eletrónicas e programação. Euphoria, a estreia da dupla em longa-duração, chegou em 1993 e recebeu o selo da Guernica, sub-label da histórica 4AD. A sua produção minimalista, que se situa entre as cadências lentas da trip-hop e os primórdios do post-rock (o termo foi batizado por Simon Reynolds numa peça sobre a dupla inglesa), mereceu um interesse modesto por parte da crítica – a inglesa Melody Maker chegou mesmo a incluir Euphoria na sua lista de melhores do ano – e tem vindo a receber um interesse crescente por parte de uma nova geração de músicos e colecionadores. 

Desde então, a banda editou mais dois discos: o sucessor Clear Skin, de 1994, e o menos aventurado Sweet Tip, de 2000, que pôs termo à sua carreira. O regresso à atividade deu-se com "Ghost Music", tema que surgiu pela primeira vez em 2016 e que integra hoje o primeiro álbum dos Insides em 21 anos. Chama-se Soft Bonds, tem nove faixas e é mais um tratado de pop elusiva e ambiental, feita de eletrónicas cintilinates e vozes lânguidas e aveludadas que evocam o espírito de Elizabeth Fraser ou Bark Psychosis

Soft Bonds encontra-se disponível para escuta nas principais plataformas de streaming e pode ser adquirido no Bandcamp da banda em edições limitadas em CD e vinil.


0 comentários:

Publicar um comentário