sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

C.A.N.V.A.S. reúne Elvin Brandhi, Alpha Maid e Nadah El Shazly em nova compilação



Apocope é a segunda compilação do coletivo C.A.N.V.A.S.. Disponível desde esta sexta-feira, o novo compêndio da editora nómada sucede a anterior compilação Cipher, de 2019, que reúniu temas de Flora Yin-Wong, Ashley Paul e Object Blue num registo que abordou a codificação. 

Para este novo lançamento, os fundadores Lugh O'Neill, Olan Monk e Elvin Brandhi recrutaram os esforços de Alpha Maid, Bashar Suleiman, Billy Bultheel, Hulubalang e Nadah El Shazly num segundo volume que orbita em torno de ideias pós-apocalípticas – um possível "ponto de rotura" com a linhagem pop, sublinha-se nas notas de edição.

Altamente colaborativo e conceptual, o C.A.N.V.A.S. foi fundado em Londres, em 2014, como uma promotora de eventos. Os seus fundadores, Lugh O'Neill e Olan Monk (hoje sediado em Lisboa), definem o projeto como "uma solidariedade entre bardos desenraizados em desafio a um neo-feudalismo emergente". O selo expandiu-se  em 2018 e é hoje plataforma para alguns dos mais emergentes atos da nova música exploratória britânica, como Michael Speers, Elvin Brandhi ou os próprios Lugh e Olan Monk.

Apocope foi feito com o apoio financeiro do Arts Council e encontra-se disponível no Bandcamp em formato físico, em edição limitada a 300 cópias em vinil, e digital. A masterização é de Ali Najafi e a capa recebe a assinatura de Elvin Brandhi, com design de Gaspar Cohen.


0 comentários:

Publicar um comentário