sábado, 24 de abril de 2021

Bendik Giske estreia-se em Portugal com espetáculo nos Jardins Efémeros


Bendik Giske é a mais recente confirmação dos Jardins Efémeros na área do som. O músico norueguês junta-se aos já confirmados Chris Watson, que irá desenvolver uma instalação sonora com o português Pedro Rebelo, e Lyra Pramuk no programa da nona edição do festival de Viseu.

Bendik Giske é um artista e saxofonista sediado em Berlim que usa a fisicalidade, a vulnerabilidade e a resistência como principais ferramentas de expressão. O seu álbum de estreia, Surrender, foi lançado em 2019 pela dinamarquesa Smalltown Supersound, que alberga ilustres como Supersilent, Kelly Lee Owens ou Lost Girls, de Håvard Volden e Jenny Hval. Em março deste ano, o músico juntou-se ao russo Pavel Milyakov, que responde também pelo nome Buttechno, para um trabalho que alia jazz e palpitações rítmicas concretas.

A organização confirmou ainda que o compositor, músico e produtor espanhol Suso Saiz irá estar pela primeira vez em Portugal, apresentando um espectáculo que resultará de uma residência artística no Teatro Viriato com o músico português André Gonçalves. O coletivo de "jazz-punk pós-aquático" Sereias, do Porto, também passará por Viseu para uma apresentação única.

A edição deste ano está também a disponibilizar três chamadas de artistas emergentes para as áreas das artes visuais e da música, devendo as candidaturas ser entregues até 18 de maio.

Os Jardins Efémeros realizam-se em Viseu, entre 3 a 11 de julho, com todos os espetáculos a acontecer no Parque Aquilino Ribeiro. Organizado pela Pausa Possível – Associação Cultural e de Desenvolvimento, o evento é uma realização financiada pelo Município de Viseu e pela Direção-Geral das Artes, e inclui outros parceiros media como a revista inglesa The Wire, Jornal do Centro, Diário de Viseu, RTP - Rádio e Televisão de Portugal e Canal180.


0 comentários:

Publicar um comentário