terça-feira, 20 de abril de 2021

:PAPERCUTZ no Centro Cultural Malaposta



Após um período de ausência de espetáculos ao vivo, motivado pelo confinamento no início do ano, :PAPERCUTZ regressa aos palcos para concertos com público em sala. O primeiro acontece já no dia 6 de maio, no auditório do Centro Cultural Malaposta, contando com a presença das convidadas portuguesas Meta (Mariana Bragada), EVAYA (Beatriz Bronze) e a neozelandesa Maree Lawn. Estas artistas participam igualmente no novo EP So Far So Fading, a editar em maio, trabalho que reúne não só novos arranjos dos temas das diversas edições do Projeto, mas também composições originais.

:PAPERCUTZ é um projeto de pop eletrónica com origem na cidade do Porto, liderado por Bruno Miguel. O primeiro tema surgiu em 2008, integrado na compilação “Novos Talentos FNAC” que destaca artistas de música portuguesa.

Desde então, o Projeto tem vindo a sofrer mutações, integrando vozes nacionais e internacionais, assumindo-se como um trabalho que abre portas à internacionalização em consonância com a era global em que vivemos. Tem sido alvo de forte aclamação tanto pela imprensa nacional como internacional, tendo vindo a receber excelentes críticas ao longo dos anos.

O grupo atuou pela primeira vez na Ásia, em finais de 2016, no festival Wonderfruit. Em 2017 lança o álbum de originais, King Ruiner, desvendando uma nova sonoridade em  concertos em Portugal e além-fronteiras. A nova vocalista, Catarina Miranda, é um dos elementos responsáveis por uma abordagem sonora diferente, evocando harmonias pop e motivos corais encontrados em geografias não ocidentais.

Em 2019 :PAPERCUTZ efetuou duas digressões europeias (Portugal, Espanha, França, Alemanha, Itália e Polónia) passando por festivais nos Estados Unidos, Reino Unido, Suíça, Islândia entre muitos outros, uma residência artística em Nova Iorque, tendo sido escolhido para o programa da União Europeia para circulação de artistas no seu espaço, INES#talent.

Em 2020 o grupo do premiado produtor portuense Bruno Miguel, apostou em novas edições internacionais de King Ruiner, um trabalho gravado entre o Porto, Nova Iorque, Hamburgo e Tóquio que conta com diversas vocalistas como a referida portuguesa Catarina Miranda, para além de Ferri, artista japonesa e a alemã Lia Bilinski.

Em Portugal, o álbum tem recebido destaque nos media e obteve uma nova edição lançada em tempos de pandemia com os portugueses Octa Push, Throes + The Shine, Scúru Fitchádu, Pedro, FARWARMTH, IVVVO, e Ondness, incluindo alguns temas originais.

Em 2021 os :PAPERCUTZ continuam em concertos, para além do lançamento de So Far So Fading que "alude ao estado impermanente e efémero de dias decorridos, reunindo novos arranjos de temas das diversas edições do projeto e composições originais com convidados como o orquestrador Bruno Pinto Ferreira e um quarteto de cordas, Maree Lawn e mema. que participam neste tema, além de Evaya e Meta nas restantes canções".

Os cancelamentos impostos pela pandemia impossibilitaram a concretização da sua maior digressão internacional, fazendo com que se voltassem para o território nacional, se reinventassem e se ajustassem à nova realidade.

Os :PAPERCUTZ assinam com a editora alemã K7 Records, casa mãe de projetos como Matthew Herbert, Thievery Corporation, Lafawndah, Lotic, entre outros. Bruno Miguel prepara o lançamento internacional do seu novo EP, com o apoio da gravação e apresentação ao vivo da DGARTES (Programa de Apoio a Projetos Criação e Edição).

Começam igualmente a delinear a sua digressão internacional para 2022 com a primeira data no Village Underground, em Londres, a acontecer no dia 4 de fevereiro de 2022.



Os bilhetes para o concerto do Centro Cultural Malaposta (Odivelas) podem ser adquiridos aqui. Em agenda estão também concertos para o Porto, dia 4 de junho no Hard Club e  Braga, dia 11 de junho no Theatro Circo.

0 comentários:

Publicar um comentário