Aires em entrevista: “Estou a conseguir traduzir melhor em música aquilo que estou a pensar e o que quero fazer”

Aires em entrevista: “Estou a conseguir traduzir melhor em música aquilo que estou a pensar e o que quero fazer”

| Outubro 26, 2021 11:50 pm

Aires em entrevista: “Estou a conseguir traduzir melhor em música aquilo que estou a pensar e o que quero fazer”

| Outubro 26, 2021 11:50 pm

Aires é o alter-ego musical de Vítor Bruno Pereira, músico madeirense no activo desde meados da década passada e um dos fundadores do Coletivo Casa Amarela, editora e promotora fundada na Madeira. Com perto de uma dezena de registos já editados, foram os discos de Tim Hecker e Ben Frost que inspiraram Aires a iniciar um percurso no ambient, aprimorado por drones etéreos e texturas minimais e barbitúricas, e a consolidar-se como um dos principais nomes do crescente movimento nacional.

Chains of Silver, Chains of Gold é o seu mais recente esforço, um trabalho bastante pessoal, em que Aires retrata a aceitação da efemeridade e a qualidade das relações na era digital, e é a sua segunda edição de 2021, sucedendo a Daylight Fireworks. Para nos falar do seu EP editado em setembro com o carimbo da finlandesa World Canvas, a maneira como sente a música que produz e os inúmeros projetos de que faz parte, temos connosco Vítor Bruno Pereira AKA Aires.O produtor vai apresentar-se amanhã na Galeria Zé dos Bois, com a primeira parte do evento a ficar a cargo de Helena Espvall.

 

Fotografia de Pedro Jafuno

FacebookTwitter